Cirurgia de Catarata

Compartilhar

 

A Catarata é a doença que mais causa cegueira reversível no mundo. Seu tratamento é a cirurgia de catarata, capaz de recuperar a visão das pessoas que desenvolveram essa anomalia.

O que é Catarata?

O olho possui uma lente natural, chamada de cristalino. Devido a diversos fatores, essa estrutura pode perder a transparência, provocando grande dificuldades para enxergar. A opacificação do cristalino é o que chamamos de catarata. Com essa perda de transparência do cristalino, a visão perde a nitidez e fica turva, embaçada, entre outras dificuldades.

 

catarata

 

 

A catarata é mais comum em pessoas idosas, ou a partir dos 50 anos, devido à degeneração natural das estruturas oculares. Mas a doença pode ocorrer devido a uso de certos medicamentos e até aparecer em bebês, já no nascimento. Veja quais são os tipos de catarata:

 

Catarata Senil: Mais comum, acomete pessoas idosas devido ao envelhecimento.

Catarata Congênita: Presente no nascimento ou formada no primeiro ano de vida da criança. Pode ocorrer devido a infecções durante a gravidez ou quando a mãe faz uso de drogas e álcool durante a gestação.

Catarata Secundária: Pode ser decorrente da presença de outras doenças ou do uso de certos medicamentos. Doenças como glaucoma e diabetes, além do uso de corticoides estão associados à catarata.

Catarata Traumática: Uma lesão ocular pode levar à catarata. O problema pode aparecer imediatamente ou levar alguns anos até que se manifeste.

Catarata por Radiação: Aparece após tratamentos envolvendo radiação, como o tratamento de câncer, por exemplo.

 

Cristalino transparente

 

Cristalino com catarata

 

 

Causas

Alguns fatores que podem ser relacionados à catarata são:

  • Histórico familiar da doença
  • Idade avançada
  • Lesões oculares
  • Uso constante de esteróides
  • Diabetes
  • Exposição excessiva a raios U.V.
  • Uso de corticóides
  • Obesidade
  • Tabagismo e uso excessivo de bebidas alcoólicas

Sintomas

Dependendo do estágio de evolução da doença, a visão pode ficar de levemente alterada à completamente bloqueada. Mas, há outros sintomas que também podem indicar a presença de catarata, tais como:

  • Excesso de sensibilidade à luz
  • Dificuldades para ler
  • Frequentes mudanças no grau do óculos
  • Visão dupla
  • Visão turva, como se estivesse com névoa em frente aos olhos.

 

Visão embasada pela catarata

Diagnóstico

O diagnóstico da catarata pode ser feito por um oftalmologista em consulta. O médico poderá identificar a doença com um exame minucioso dos olhos e poderá identificar essa opacificação.

Após os 50 anos é imprescindível realizar consultas frequentes ao oftalmologista, pois assim é possível efetuar o diagnóstico precoce da catarata e outros problemas oculares.

 

Tratamento

O tratamento da catarata é essencialmente cirúrgico e consiste na remoção do cristalino nebuloso. Atualmente, existem técnicas mais modernas e principalmente mais seguras para remoção do cristalino, garantindo um recuperação extremamente rápida. No Instituto de Oftalmologia de Assis (IOA) utilizamos a moderna técnica de facoemulsificação, com anestesia tópica (apenas colírios). Com essa técnica, todo o cristalino é aspirado através de uma microincisão (2 milímetros), aumentando a segurança do procedimento e reabilitação visual acelerado. O cristalino é então removido e o mesmo deverá ser substituído por uma lente intra-ocular. A cirurgia de catarata através da microincisão permite uma recuperação da visão quase imediata, sem a necessidade de pontos.

 

Cirurgia de Catarata

 

 

Como é a Cirurgia de Catarata?

A facoemulsificação ultrassônica consiste em realizar uma pequena abertura no olho, na qual a catarata é triturada e aspirada ao mesmo tempo. Após a remoção do cristalino opacificado é implantada uma lente intraocular para substituir o grau do cristalino doente.

Esta técnica oferece grande vantagem em relação à cirurgia tradicional, com menor riscos de complicações, recuperação visual mais rápida, menor trauma e menor inflamação, oferecendo assim maior segurança tanto ao paciente quanto ao cirurgião.

 

 

Qual Lente Intraocular Devo Escolher?

 

 

Atualmente existe uma grande variedade de lentes para a cirurgia de catarata. Há diferentes tipos de lentes intraoculares, que podem ser classificadas em relação ao foco (monofocal, multifocal e trifocal) e em relação ao material (acrílico, silicone, PMMA). Também podem se classificar em relação ao tamanho, se são dobráveis ou não, ou ainda em relação à presença de filtro de luz amarela.

É importante conversar com o oftalmologista e avaliar a lente mais adequada para o seu caso.

 

 

Simulação de correção da visão com lentes Monofocais

 

Simulação de correção da visão com lentes Multifocais

 

 

 

Lançamento de Lentes Trifocais – Visão para perto, longe e intermediária

Foi lançada recentemente no Brasil a lente intraocular PanOptix® – O AcrySof IQ PanOptix trifocal IOL é indicado para pacientes adultos com e sem presbiopia submetidos a cirurgia de catarata que querem uma visão de perto, de longe e distâncias intermediárias com maior independência dos óculos.

Hoje, há uma maior probabilidade de  pacientes que se submetem à cirurgia de catarata que desejam executar suas tarefas do seu dia a dia, tais como a leitura de livros, trabalhar com computadores e realizar atividades ao ar livre, sem ter que precisar dos óculos ou lentes de contato. A LIO PanOptix® é uma opção importante que dará a estes pacientes uma ampla gama de visão e, portanto, reduzir muito a sua dependência de óculos, em distâncias intermediárias.

 

 

AcrySof IQ PanOptix trifocal IOL

AcrySof IQ PanOptix®

 

Saiba tudo sobre a catarata, baixe o pdf aqui:

baixar ebook

 

 

Tecnologia IOA, na cirurgia de Catarata

 

LENSTAR-LS-900-Alcon

Lenstar (LS 900®)

Exame: Biometria à Laser

Esta tecnologia simplesmente revolucionou a biometria e a oftalmologia. Possibilita aos cirurgiões maior segurança e qualidade nas cirurgias de catarata. Em um único exame é capaz de medir a espessura do cristalino e da retina, além da profundidade da câmara anterior, permitindo ao cirurgião a mais alta precisão para posicionamento das lentes durante o implante intraocular nas cirurgias de catarata. Este exame, combinado com o implante das lentes de alta tecnologia tem revolucionado o tratamento da catarata a qualidade de visão, chegando, em alguns casos, alcançar total dependência do uso de óculos para correção para perto e longe, além de tratar por completo a catarata.

 

 

constellation

O Constellation Vision System é um dos equipamentos mais completos do mercado, com a cirurgia de catarata controlada por infusão ativa, com índice menor que 1% de complicações. Consiste em um sistema que melhora o desempenho em cirurgias, com a tecnologia da Caneta Torsional Ozil, que proporciona maior eficiência no movimento oscilatório lado a lado, oferecendo maior segurança e precisão.

 

 

Dúvidas frequentes sobre Lentes Intraoculares para Catarata

 

O que é uma lente monofocal?

Uma lente intraocular monofocal direciona os raios de luz até um ponto focal. Infelizmente, este único ponto focal proporciona visão nítida apenas para uma única distância. Assim, será necessário o uso de lentes corretivas, como óculos, para proporcionar visão de perto, intermediária e de longe, simultaneamente. O importante é ressaltar que no pós operatório, o potencial de visão irá melhorar em comparação ao pré operatório seja com ou sem óculos, desde que não exista outra anormalidade ocular.

 

O que são lentes multifocais?

São lentes que proporcionam múltiplos focos e são divididas em múltiplas zonas ópticas em forma de anel com diferentes graus, buscando obter a visão de perto e de longe. Existem zonas de transição entre estes anéis que podem causar distúrbios visuais, tais como halos ao redor de luzes, que são chamados de fenômenos fóticos. Os fenômenos fóticos são normalmente influenciados pelo tamanho da pupila.

 

Para que serve a lente com filtro amarelo?

O fundo de olho contém o pigmento melânico, um pigmento amarelado chamado Lipofuscina. Com o avanço da idade, ocorre um aumento da concentração de Lipofuscina na mácula, o que leva a uma maior absorção da Luz Azul. O efeito danoso da Luz Azul é significativo em idosos, principalmente pela maior concentração da Lipofuscina. O cristalino quando retirado com a catarata, somado à maior concentração de Lipofuscina acelera o processo da degeneração na mácula.

 

É possível corrigir a astigmatismo com a cirurgia de catarata?

As lentes intraoculares tóricas são indicadas para pacientes com catarata e astigmatismo corneano moderado a severo. Está nova tecnologia permite a correção dos graus de miopia ou hipermetropia e também do astigmatismo pré existente. Uma adequada avaliação pré-operatória se torna fundamental para identificar as indicações para o implante de lente tórica.

 

O que são lentes intraoculares multifocais tóricas?

As lentes intraoculares multifocais tóricas são indicadas para pacientes com catarata e astigmatismo corneano moderado a severo associadas ao benefício da melhora da visão de perto. É particularmente útil para os pacientes com catarata onde os métodos incisionais podem não corrigir adequadamente o astigmatismo. Anteriormente os pacientes que possuiam astigmatismo corneano significativo não podiam implantar lentes intraoculares multifocais.

 

Pacientes já submetidos ao procedimento e que possuem graus residuais, podem ser reoperados e implantarem lentes intraoculares adicionais para complementação do grau?

A lente, idealizada pelo cirurgião austríaco Michael Amon, da Universidade de Viena, para ser colocada no sulco ciliar permitiria a correção dos erros refracionais residuais sem a necessidade de retirada/troca da lente intraocular já inserida, evitando os traumas e os riscos cirúrgicos inerentes a esse procedimento. Seria útil também para aqueles pacientes já com lentes intraoculares de cirurgias prévias que tem a correção com laser contra indicada por apresentarem alterações topográficas da superfície ocular, disfunções lacrimais ou espessura corneana limítrofe. Essa lente, denominada Sulcoflex® Pseudofácica, foi desenvolvida pela empresa inglesa Rayner®, responsável pela manufatura da primeira lente intraocular implantada no mundo, em 1949, por Harold Ridley.

 

 

 

 

 

Cuidados no Pré-operatório da cirurgia de Catarata

  • Avise se estiver usando vasos dilatadores como: aspirinas, ginkgo biloba etc.
  • Faça jejum de oito horas antes da cirurgia.
  • Tome banho e lave bem o rosto e a cabeça, antes de ir para a clínica.
  • Em caso de medicação matinal, principalmente cardiológica, é recomendável ingerir os comprimidos com pouca água.
  • Use roupas confortáveis, simples e fáceis de serem trocadas.
  • Não esqueça de entregar à equipe os exames laboratoriais e cardiológicos.

 

Cuidados pós-operatórios para cirurgia de Catarata

Seguir a orientação médica após a cirurgia de catarata pode evitar complicações na recuperação. Esses cuidados são fundamentais para o bom resultado final da cirurgia.

As visitas pós-operatórias serão determinadas pelo cirurgião, com intervalos que ele julgar mais convenientes. A refração final será realizada quatro semanas após a cirurgia.

 

Veja algumas orientações:

Em caso de dor e olho vermelho ou qualquer outro tipo de sintoma, comunicar-se com o médico.

  • No primeiro dia após a cirurgia, repouso, não dormir sobre o olho operado.
  • Não levantar nenhum tipo de peso.
  • Usar os medicamentos na dose e hora recomendada por seu médico.
  • Lavar as mãos antes de pingar os colírios.
  • O paciente poderá abaixar a cabeça normalmente desde que o faça com cuidado.
  • Faça caminhadas a partir do dia seguinte ao da cirurgia.
  • É recomendado aguardar, no mínimo, dez dias para fazer ginástica e quinze dias para hidroginástica.
  • Atividades sexuais estão autorizadas, após uma semana, evitando que os olhos fiquem para baixo, a fim de não causar pressão sanguínea.
  • Durante uma semana é necessário evitar ambientes que tenham muita poeira, fagulhas, ciscos, vento, vapor etc.
  • Evite ler por cinco dias. Se necessário aguarde a prescrição dos óculos para perto.
  • Não há restrições para o hábito de assistir TV desde que não cause desconforto.
  • O banho pode ser completo, sendo necessário ter o máximo cuidado com o olho operado, principalmente ao lavar a cabeça e o rosto;
  • Ao dormir, evite pressionar o olho operado no travesseiro;
  • É terminantemente proibido coçar ou apertar o olho operado;

Comparecer às consultas marcadas para acompanhamento pós-operatório, pois elas são de extrema importância.

 

Dúvidas frequentes no pós-operatórios da cirurgia de Catarata

Existe risco da catarata voltar após a operação?
O tratamento cirúrgico da catarata consiste na substituição do cristalino opaco por uma lente artificial. O material utilizado atualmente nas lentes intra-oculares impede que este tipo de problema aconteça novamente, mas implantes antigos podem apresentar alterações como, por exemplo, a catarata secundária.

 

É verdade que a catarata é uma pele que recobre o olho?
Não, na verdade catarata é o processo de opacificação do cristalino, lente natural existente dentro do globo ocular. Quando esta lente se opacifica, ela dificulta ou impede a passagem de luz, provocando diminuição da visão. Já a pele que recobre o olho externamente e que muitos confundem com a catarata, atrapalhando a visão, é chamada de pterígio e pode ser tratada com medicamentos ou cirurgia.

 

Posso praticar esportes após a cirurgia?
Em longo prazo, não há restrições para a prática de esportes após a cirurgia, pois a maior vantagem do procedimento é a retomada da vida normal. Contudo, logo após o procedimento existem restrições à atividades físicas como pegar peso, abaixar a cabeça ou correr. É preciso lembrar que mesmo pessoas que não se submeteram à cirurgias necessitam de uma avaliação médica antes de iniciar a prática de exercícios. Portanto, é fundamental a orientação de um médico em ambos os casos.

 

A lente intra-ocular pode se deslocar depois de implantada?
Nos primórdios da cirurgia de catarata era comum este tipo de problema, mas os avanços tecnológicos nesta área propiciaram maior segurança no implante da lente intra-ocular. Converse com o seu oftalmologista sobre este tema para que todas as dúvidas sobre o tipo de lente escolhida para o seu implante sejam esclarecidas.

 

Quanto tempo preciso ficar em repouso após a cirurgia?
Antigamente, após a cirurgia de catarata era necessário até sete dias de hospitalização. A modernização das técnicas cirúrgicas resultou num procedimento rápido, embora extremamente complexo e, hoje, é possível voltar para casa no mesmo dia da cirurgia. Mas isso não exclui o repouso que deve ser preservado no aconchego do lar de acordo com as recomendações do seu oftalmologista.

 

Que tipo de anestesia é usada na cirurgia de catarata?
Na cirurgia de catarata é comum a utilização de anestesia local (colírios), o que permite ao paciente se manter lúcido ou ligeiramente sedado durante todo o procedimento cirúrgico, sem sentir dor.

 

Apenas pessoas idosas precisam ser submetidas à cirurgia de catarata?
A recomendação de tratamento cirúrgico para portadores de catarata não está relacionada à idade do paciente e sim ao seu comprometimento visual. Qualquer portador de catarata deve ser submetido a cirurgia desde que tenha sua capacidade ocular prejudicada pela doença e apresente condições de recuperação pós-cirurgia.

 

É verdade que a catarata acomete sempre os dois olhos?
É comum que a catarata senil seja bilateral, ou seja, aconteça nos dois olhos em momentos distintos da vida ou simultaneamente. Mas, de modo geral, isto não é uma regra.

 

Devo operar os dois olhos simultaneamente ou um de cada vez?
Somente o cirurgião poderá indicar a melhor opção para cada caso. É recomendado aguardar, no mínimo, 24 horas entre um procedimento e outro, pois a recuperação do primeiro olho poderá servir como base para a próxima cirurgia.

 

Como posso saber se o médico que irá me operar está realmente qualificado?
O primeiro passo é saber se o cirurgião é de fato um especialista nesta área, para isso, é possível consultar a lista de membros da Sociedade Brasileira de Catarata e Implantes Intra-oculares (SBCII). Também é importante ter referências de amigos ou parentes que tenham sido operados por este oftalmologista e, além disso, conhecer o local em que seu médico costuma operar. A confiança é fundamental para o sucesso do tratamento.

 

Com quantos dias de operado posso lavar a cabeça? E praticar esportes?
Cada paciente apresenta suas peculiaridades e, por isso, somente o oftalmologista que está acompanhando o caso poderá recomendar o período mais adequado. Pode-se tomar banho normalmente desde que haja extremo cuidado com o olho operado.

 

Quanto tempo leva para a visão voltar ao normal após a cirurgia?
A qualidade visual após o procedimento cirúrgico também está relacionado a fatores como: tipo de lente implantada; funcionamento de outras estruturas oculares como, por exemplo, retina; anestesia; etc. De modo geral, quando não há complicações, a melhoria da visão é percebida rapidamente.

 

Existe algum tratamento clínico para a catarata?
O único tratamento eficaz para a catarata é a cirurgia.

 

Há alguma medida preventiva para evitar que a catarata se instale?
As medidas preventivas estão relacionadas às causas do problema. Infelizmente nem todo tipo de catarata pode ser evitado. Para prevenir a catarata traumática é necessário evitar situações críticas como quedas, agressões físicas ou acidentes automobilísticos e sempre usar o cinto de segurança. No caso da catarata medicamentosa é fundamental ter consciência dos perigos da auto-medicação. Manter o diabetes sob controle e não fumar são medidas que podem contribuir, mas ainda não há remédio para evitar a predisposição genética, nem o envelhecimento do cristalino.

 

Ter catarata é um problema genético?
Não se trata de um problema genético específico, mas todo o corpo humano é regido pelas características genéticas do individuo. Por isso, da mesma forma que uns são mais altos e outros mais baixos, algumas pessoas apresentam maior predisposição para o surgimento da catarata enquanto outras resistem mais a ação do tempo, dos raios do sol, e etc.

 

A cirurgia de catarata é muito arriscada?
Qualquer procedimento cirúrgico oferece riscos, pois embora a Medicina esteja muito avançada tecnicamente ainda não é possível prever com total certeza a reação do corpo humano em determinadas situações. Ao longo dos anos, a cirurgia de catarata evoluiu espantosamente tornando o procedimento cada vez mais seguro. Contudo é necessário seguir corretamente as orientações do especialista e informar com clareza o histórico de saúde do paciente e de seus familiares mais próximos. Os riscos são mínimos, mas existem.

 

Como posso ter certeza se é o momento certo para operar a catarata ou se posso esperar mais alguns anos?
Durante muito tempo acreditou-se que era necessário esperar a catarata amuderecer para então removê-la. Hoje, sabe-se que isso não procede. O momento mais indicado para operar a catarata ocorre quando a doença passa a interferir na vida do paciente, prejudicando não só a sua visão, mas principalmente sua autonomia.

 

A cirurgia de catarata pode ser realizada em consultório?
A cirurgia de catarata deve ser realizada em local que ofereça infra-estrutura adequada para tal procedimento, com disponibilidade de remoção rápida e internação em casos emergenciais. Imagine que durante a cirurgia de catarata em um consultório no 12º andar de um edifício comercial o paciente sofra, por exemplo, uma parada cardíaca, de que maneira esta pessoa será socorrida? O ideal é que este tipo de procedimento cirúrgico seja realizado em ambientes hospitalares qualificados.

 

Que exames preciso fazer antes da cirurgia? 
Os exames complementares são essenciais para o planejamento cirúrgico e pesquisa de doenças associadas à catarata. Antes do procedimento alguns exames poderão ser necessários para se programar adequadamente a cirurgia, cabendo ao cirurgião decidir quais são os mais importantes:

1) biomicroscopia do segmento anterior, que detecta, entre outras coisas, sinais de inflamação intra-ocular e a presença, localização e extensão das opacidades do cristalino;

2) tonometria de aplanação, mede a pressão intra-ocular, que pode indicar a existência de glaucoma;

3) biometria, mede o comprimento axial do globo ocular, fator indispensável para a escolha da lente intra-ocular;

4) mapeamento de retina, detecta possíveis doenças que podem comprometer o resultado da cirurgia;

5) topografia corneana, determina o valor da curvatura da córnea, necessário para a escolha da lente intra-ocular;

6) ecografia B ou ultra-sonografia do globo ocular, avalia o segmento posterior do olho;

7) microscopia especular, avalia a capacidade do endotélio corneano que esta relacionada a transparência da córnea;

8) teste de sensibilidade ao contraste;

9) PAM, avalia o potencial da visão macular. Em casos especiais outros exames podem ser solicitados pelo oftalmologista.

 

Como posso saber se a lente que será implantada em meu olho é de boa qualidade?
Atualmente, o mercado de lentes intra-oculares é muito amplo. Grandes indústrias investem maciçamente no aperfeiçoamento de suas lentes, criando novas opções com características variadas. Portanto, o melhor é conversar com seu oftalmologista para saber o tipo de lente intra-ocular mais indicado para o seu caso. Como nas demais áreas da vida, temos tendência a confiar na qualidade dos produtos fabricados por empresas idôneas que tenham anos de experiência no segmento.

 

Tenho miopia. A cirurgia de catarata resolverá este problema também?
Sim. A cirurgia de catarata consiste na substituição do cristalino opaco por uma lente intra-ocular. A miopia é o que ocorre quando as imagens se formam fora do local ideal: a retina. Já existe cirurgia para a correção de miopia, informe-se com o seu oftalmologista.

 

Qual é a causa da catarata?
Não existem fatos que comprovam a causa exata da catarata, mas estudos científicos apontam os principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença: envelhecimento, diabetes, tabagismo, alcoolismo, uso freqüente de medicamentos como os corticosteróides, exposição aos raios UVB e doenças oculares como a uveíte e o glaucoma.

 

Quais são os sintomas?
Os principais sintomas da catarata são: sensação de visão “nublada”, “turva” ou “enevoada”, alteração contínua no grau de refração e maior sensibilidade à luz.

Somente o oftalmologista poderá solicitar os exames necessários para a confirmação do diagnóstico, bem como, indicar o melhor procedimento cirúrgico para tratamento.

 

Existe cura?
A cegueira causada pela opacificação do cristalino pode ser revertida com tratamento cirúrgico no qual a lente natural é removida e substituída por uma lente artificial (intra-ocular).

 

Qual a melhor opção de tratamento?
A facoemulsificação é considerada a técnica mais segura, com recuperação rápida e menor tempo de internação.

Os avanços tecnológicos tornaram a cirurgia de catarata mais rápida e, ao mesmo tempo, mais complexa, exigindo do cirurgião mais habilidade, conhecimento e experiência. Além disso, o sucesso do procedimento também esta relacionado à infra-estrutura do centro cirúrgico e qualidade das lentes intra-oculares e de todo material utilizado durante a cirurgia.

 

É verdade que a cirurgia de catarata é muito simples, e que pode ser realizada em apenas dez minutos?
De fato a modernização da técnica cirúrgica empregada no tratamento da catarata tornou o procedimento rápido, entretanto, isso não significa que a cirurgia é simples. Por estar relacionada a uma parte muito sensível e frágil do corpo humano, a cirurgia de catarata exige grande conhecimento do especialista e de toda equipe.

 

Após a cirurgia é preciso usar óculos?
Dependendo da lente intra-ocular escolhida pelo paciente, é possível que após a cirurgia de catarata seja necessário o uso de óculos para perto. Converse com o seu médico sobre as opções de lentes.

 

É verdade que a cirurgia de catarata é realizada com laser?
Não. É comum as pessoas confundirem o laser com o facoemulsificador, que reduz o cristalino opaco a partes mínimas, porém o laser não pode eliminar a catarata.

Como devo usar o colírio?
Quando for instilar dois ou mais colírios, simultaneamente, dê um prazo de pelo menos quinze minutos entre um e outro;

Para evitar sentir o gosto do colírio na garganta, pressionar os pontos lacrimais, usando o dedo indicador e o polegar;

Mesmo que o colírio cause ardência, evite apertar excessivamente as pálpebras;

Após instilar o colírio não enxugue os olhos imediatamente, pois, se assim o fizer, estará retirando toda a substância do medicamento;

Normalmente, colírios são usados até o momento de dormir. Não é necessário acordar à noite para instilar o medicamento.

 

Resultado da cirurgia: Melhoria na Qualidade de vida

O implante das lentes intra-oculares modernas permite que o paciente volte a executar as suas atividades cotidianas normalmente, como ler livros, dirigir e praticar esportes.

Muitas lentes, ainda, vêm com proteção contra raios UV, o que permite uma proteção extra contra os efeitos nocivos dessa radiação tão temida. Portanto, se você sentir que sua visão está se tornando turva e perceber o embranquecimento do seu cristalino, não fique com medo. É provavelmente uma condição reversível, que pode ser solucionada rapidamente de maneira muito eficiente.

Caso surja qualquer sinal ou você perceba algum sintoma que esteja afetando a sua visão, procure um oftalmologista para que ele possa indicar a melhor solução para seu problema.

 

 

 

 

O Instituto de Oftalmologia de Assis segue as determinações do Manual de Publicidade Médica descritas no Código de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina (Resolução CFM nº 1974/11). Se você observou algum item que não esteja de acordo com o manual, por favor, clique para informar o problema.