Cirurgia de Ceratocone

Compartilhar

 

 

Cirurgia de Ceratocone

A cirurgia de ceratocone é uma alternativa de tratamento, quando os óculos e lentes de contato já não corrigem satisfatoriamente a visão, ou o paciente não se adapta a esses tratamentos.

ceratocone ioa

Paciente com ceratocone

 

Os procedimentos que se aplicam à solução desse problema ocular são o implante de Anel de Ferrara, o Crosslinking e o Transplante de Córnea.

Entenda melhor esses procedimentos e suas aplicações:

Anel de Ferrara

Este tratamento está indicado principalmente aos portadores de ceratocone em evolução, em qualquer faixa etária, intolerantes a lentes de contato ou com distorções acentuadas da córnea.

O Anel de Ferrara foi reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina como procedimento terapêutico para ceratocone. Tem a intenção de regularizar a superfície corneana que se encontra com uma forma cônica e irregular no ceratocone.

Com o uso de equipamentos de laser de última geração, é feito um túnel na parte central da córnea, onde são implantadas pequenas estruturas em forma de anel. O anel de Ferrara é uma órtese composta de dois segmentos semicirculares, de espessuras variáveis, com 5mm de diâmetro, confeccionada com o mesmo material utilizado há mais de 20 anos na confecção de lentes intraoculares. Essa cirurgia de ceratocone faz com que a córnea assuma um formato mais uniforme e melhore a visão do paciente.

 

 

anel de ferraraanel 2

Saiba mais sobre o Anel de Ferrara no link abaixo:

Anel de Ferrara

Crosslinking

O crosslinking do colágeno corneano é uma técnica inovadora existente há muitos  anos  para o tratamento de pacientes com ceratocone. Com a utilização da Riboflavina (vitamina B2) e uma luz ultravioleta UVA, está comprovado que é possível fortalecer a córnea através da mudança das ligações entre as moléculas do colágeno corneano.

O procedimento é realizado dentro do centro cirúrgico e a anestesia é feita com colírio anestésico. O tratamento consiste na aplicação de uma solução de riboflavina -Vitamina B2 sobre a córnea até que esta esteja completamente embebida pela substância.

Em seguida, procede-se com a irradiação da córnea com luz ultravioleta (UVA) por 30 minutos. Ao final da aplicação é colocada uma lente de contato como curativo, que deverá ser retirada em dias de acordo com a cicatrização da córnea.

O crosslinking corneano não cura o ceratocone. Ele é utilizado com o objetivo de evitar sua progressão. O método tem a intenção de aumentar a resistência das fibras do colágeno e alterar a biomecânica corneana, sendo assim indicado em casos de ceratocone progressivo.

crosslinking_aplicacao

Saiba mais sobre o Crosslinking no link abaixo:

Crosslinking

Transplante de Córnea

O transplante de córnea é uma cirurgia de ceratocone que consiste em substituir uma porção da córnea doente de forma total ou parcial de um paciente por uma córnea doadora saudável, a fim de melhorar a visão do paciente ou corrigir quadro de perfurações oculares que ponham em risco a perda anatômica e funcional do olho.

Transplante Lamelar de Córnea Dalk ou Big Bubble

Essa técnica é recomendada sobretudo aos portadores da doença ceratocone. Embora a cirurgia tenha registrado grandes avanços ao longo do último século, a técnica mais comum hoje em dia ainda é bastante invasiva. Ela exige que se removam 80% do diâmetro da córnea do receptor e que se troquem todas as camadas do órgão.

A remoção da mais profunda delas, o endotélio, é o procedimento que apresenta o maior risco de rejeição – 30% dos pacientes submetidos a um transplante perdem a nova córnea por causa disso.

Para evitar essas complicações, foi desenvolvida a técnica do transplante lamelar anterior (DALK ou BIG BUBBLE), essa técnica é uma boa opção quando a parte interna da córnea (endotélio) está saudável. O procedimento consiste no implante da córnea sem o endotélio. Apenas as camadas doentes anteriores da córnea serão substituídas e a camada mais interna, o endotélio, será mantido. Por a camada interna ser mantida, o corpo não reconhece o tecido do doador, havendo menos riscos de rejeição. A técnica é chamada de “Big Bubble” (Grande Bolha), pois ar é injetado na córnea para facilitar a separação entre as camadas superficiais e profundas. Nessa técnica, somente as duas camadas mais internas (endotélio e membrana de Descemet) permanecem, enquanto que as 3 camadas anteriores (epitélio, camada de Bowmann e estroma) são substituídas.

 

 

ceratocone_ioa

Paciente pós Transplante Big Bubble

 

 

Saiba tudo sobre o Ceratocone, baixe o pdf aqui:

baixar ebook

 

Dúvidas sobre Cirurgia de Ceratocone?

 

 

O Instituto de Oftalmologia de Assis segue as determinações do Manual de Publicidade Médica descritas no Código de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina (Resolução CFM nº 1974/11). Se você observou algum item que não esteja de acordo com o manual, por favor, clique para informar o problema.