Cirurgia de Glaucoma

Compartilhar

Cirurgia de Glaucoma

Em geral, o tratamento de glaucoma visa controlar a pressão intraocular (PIO). Para isso pode-se aplicar medicação (colírios, comprimidos). Quando esses tratamentos não conseguem reduzir a PIO, a alternativa é o tratamento cirúrgico. Com o uso de modernos aparelhos pode ser feita uma trabeculectomia, que consiste na criação de um novo canal de drenagem para que o humor aquoso circule e diminua a pressão intraocular.

Nos casos de Glaucoma de ângulo fechado, podem aplicar-se o uso de medicamentos e colírios, além de uma iridotomia, que é a abertura de um novo canal na íris para aliviar a pressão intraocular, feita com o uso de laser. Já para o Glaucoma congênito, apenas a cirurgia se aplica.

Trabeculectomia

A trabeculectomia tem como objetivo criar um novo canal para drenagem do humor aquoso. É a retenção da circulação desse líquido que aumenta a pressão intraocular. Esse novo dreno fica na parte superior do olho, na parte branca que é coberta pela pálpebra. Com esse novo canal, a pressão intraocular é aliviada, evitando danos ao nervo óptico e perda da visão.

Esse procedimento é feito com anestesia local, aplicada por meio de colírios. Alguns pacientes podem precisar de sedativos para manter-se calmos durante o procedimento.

Iridotomia

Com o uso do laser, é feito um pequeno orifício na íris, que servirá como passagem alternativa para o fluxo do humor aquoso nos olhos. Com isso, alivia-se a pressão intraocular em casos em que os canais naturais de drenagem estão obstruídos, aumentando a pressão intraocular.

 

 

O Instituto de Oftalmologia de Assis segue as determinações do Manual de Publicidade Médica descritas no Código de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina (Resolução CFM nº 1974/11). Se você observou algum item que não esteja de acordo com o manual, por favor, clique para informar o problema.