Novas tecnologias no tratamento de ceratocone

Compartilhar

 

Vários novos tratamentos e novas tecnologias têm sido utilizados nos últimos anos no tratamento do ceratocone.

 

Novas tecnologias no tratamento de ceratocone

 

Tipos de tecnologias e tratamentos de ceratocone

As lentes esclerais

As lentes esclerais são grandes lentes permeáveis a gás que se localizam além dos limites da córnea na esclera. Elas têm muitas indicações incluindo ectasia primárias e secundárias da córnea, transplantes da córnea, pós-cicatrizes e distrofias corneanas ou degenerações. Estas lentes também podem ser utilizadas em pacientes com olhos secos severos, enxertos, ou condições inflamatórias crônicas, como a deficiência límbica ocular.

As lentes esclerais beneficiam pacientes com ceratocone por tornar a superfície da córnea irregular mais regular. Lentes de grande diâmetro são capazes de criar um reservatório de lágrima maior e proporcionar mais espaço entre a lente e a córnea. Isto é útil, se houver uma diferença significativa na altura da córnea (ectasia). De grande diâmetro as lentes esclerais têm uma área maior e pode melhorar o conforto no olho do paciente. Um diâmetro menor de lentes esclerais é mais fácil de manusear e pode ser usado quando houver menos ectasia da córnea.

 

Ceratoprótese

Um ceratoprótese é um dispositivo sintético para substituir uma córnea humana opaca, a fim de proporcionar uma visão clara através da parte frontal do olho. O procedimento ceratoprótese é cirúrgico na qual uma córnea severamente danificada ou doente é substituída por uma córnea artificial. Este procedimento é utilizado para a opacidade grave da córnea, transplantes, ou falhas nos transplantes padrão de córnea.

Ceratoprótese são feitos de plástico transparente, com a tolerância do tecido e propriedades ópticas excelentes. Eles variam em técnicas de design, tamanho e implantação, consistem em três partes e, quando completamente montado e tem a forma de um botão de colar.

As complicações potenciais relacionadas com procedimentos de córneas artificiais incluem infecção, fusão do dispositivo, a hemorragia durante a cirurgia, agravamento do glaucoma, necrose aguda de retina, hipotonia crónica, e pobre potencial visual se a retina e nervo óptico não estiverem saudáveis.

 

Colágeno corneano (Crosslinking)

O colágeno corneano usa riboflavina e luz ultravioleta para fortalecer a córnea, aumentando as ligações cruzadas dentro das fibras de colágeno.

Embora o colágeno corneano interrompa a progressão da ectasia corneana, ele provoca achatamento das medições de ceratometria e melhora a correção da visão, eliminando a necessidade de óculos e lentes de contato.

Em comparação com córneas não tratadas, estes tratamentos causaram um aumento na rigidez da córnea. A riboflavina é um fotossensibilizador não tóxico feito de vitamina B2, o qual é solúvel em água. Ele pode penetrar facilmente no estroma da córnea na ausência de seu epitélio.

 

Considerações finais

Nesse artigo vimos algumas novas tecnologias no tratamento do ceratocone. Segundo especialistas, o tempo de cura pode ser menor em comparação quando o epitélio é removido. O risco de infecção também pode ser reduzido com um epitélio intacto. Diferentes técnicas estão atualmente a ser explorados para tornar o epitélio mais permeável no pós-operatório, melhorando assim a eficiências das técnicas acima descritas.

 


Vídeos ver todos